Concorrido evento comemora o aniversário da Academia Friburguense de Letras

No dia 22 de junho foi realizada sessão solene pelo transcurso do 69° aniversário da Academia Friburguense de Letras. Desde a primeira reunião, realizada ao ar livre, em plena Praça 15 de Novembro (atual Getúlio Vargas), até os dias de hoje, a Academia vem cumprindo com a proposta de incentivar a atividade literária, educativa e cultural da cidade. Também conhecida como a Casa de Julio Salusse, a entidade reúne atualmente cerca de 40 membros. São escritores, poetas, jornalistas, professores e profissionais liberais do município que emprestam seu talento às reuniões e eventos promovidos na casa.

Durante o evento, foi proferida a palestra "Café e Escravidão em Nova Friburgo no Século XIX" pelo acadêmico Edson de Castro Lisboa, baseado no livro "Os Crimes da Fazenda Ponte de Tábuas", de sua autoria e de Jorge Miguel Mayer (Professor Associado do Departamento de História da UFF, Doutor em História pelo PPGH-UFF), em que estudam um processo criminal relativo a uma violenta revolta de escravos, ocorrida no ano de 1850, na Fazenda Ponte de Tábuas, de propriedade do Comendador Boaventura Ferreira Maciel, em Nova Friburgo. A descrição do fato com riqueza de detalhes é, antes de mais nada, revelador de um processo de luta de classes, não faltando até mesmo o assassinato do feitor, de dois trabalhadores da fazenda, e a espetacular fuga de um significativo número de cativos.

O presidente Robério Canto destacou os 69 anos de atividades ininterruptas do sodalício, e chamou a atenção para o aniversário de 70 anos da Academia Friburguense de Letras, a ser comemorado ano que vem.

“Cultuar a arte é sublimar o espírito” - Rudá Brandão de Azambuja



 






Nenhum comentário:

Postar um comentário