Biografia dos Acadêmicos: Irapuan Teixeira Guimarães


Irapuan Teixeira Guimarães, escritor, poeta e ator. Professor de língua portuguesa e literatura brasileira, há mais de 30 anos. Cantagalense, mas friburguense de coração, começou a escrever ainda na adolescência, no antigo Colégio Rui Barbosa. Suas primeiras obras foram editadas ainda nos anos de chumbo quando ele e muitos outros artistas e escritores foram cerceados pela censura da ditadura militar. Seu primeiro livro, "Redemoinho”, por pouco não acabou no limbo daqueles tempos. Depois vieram duas obras didáticas de literatura e gramática: "Desabafo - poema mural”; a antologia "Rituais” e ainda, "O Pio da Jiripoca - o lado avesso de Nova Friburgo”, que descortina um pouco do comportamento da sociedade local.

Com uma linguagem simples, mas forte, Irapuan se define como um poeta que não escreve para acadêmicos. "O que eu vejo e apuro é para ser escrito no muro, ou seja, lido por todos e interpretado da maneira que quem ler achar melhor. Por isso priorizo poemas curtos, objetivos, bem dosados. Hoje em dia a maioria das pessoas não tem tanto tempo para se dedicar à leitura — uma pena. Textos longos são desprezados. Poeticamente falando, os poemas têm que dizer tudo quando não há mais tempo de dizer nada”, filosofa o autor, que começou a escrever sem a pretensão de tornar-se um autor publicado.

É membro da Academia Friburguense de Letras, ex-presidente do Conselho Municipal de Cultura de Nova Friburgo, homenageado com o título de cidadão friburguense oferecido pela Câmara Municipal, bem como, pelo Grupo Gama, durante a inauguração do memorial erguido na Praça Messias de Moraes Teixeira no Suspiro.

Cadeira nº 8 - Patronímica: Carlos de Laet

Nenhum comentário:

Postar um comentário